Cultural Data Project – o que os dados nos dizem sobre o sector cultural

O tratamento de dados na cultura é essencial para conhecermos o sector e a distribuição dos mais variados recursos (financeiros, programáticos e operacionais). O projecto norte-americano Cultural Data Project é um bom estudo de caso para se fazer algo semelhante em Portugal. O último relatório – “New Data Directions for Cultural Landscape” – também é muito interessante.

Google lança galeria de mapas interactivos temáticos

O Google lançou uma galeria de mapas interactivos muito, muito interessante, baseados em dados fornecidos por várias instituições mundiais. Desde a evolução da temperatura média entre 1951 e 1980 à taxa de desemprego nos países da União Europeia, os 122 mapas apresentam dados enquadrados em 10 categorias: “Ambiente”, “Crise”, “Cultura e Sociedade”, “Espaço”, “História”, “Imagens”, “Infra-estruturas”, “Limites administrativos”, “Lugares” e “Lazer”.

Curso online gratuito sobre jornalismo de dados

O European Journalism Centre está a aceitar inscrições para o curso online gratuito sobre jornalismo de dados – “Doing Journalism with Data: First Steps, Skills and Tools” – a começar no início de 2014. Paul Bradshaw, Steve Doig, Alberto Cairo, Nicolas Kayser-Bril e Simon Rogers são os formadores (de peso) dos cinco módulos.

 

 

After the Asylum

O projecto multimédia After the Asylum retrata a vida de três ex-doentes psiquiátricos que regressaram à sua comunidade depois de estadias em asilos psiquiátricos, numa altura em que o último estabelecimento deste tipo irá fechar, na Irlanda, daqui a 18 meses. O projecto, promovido pelo The Irish Times e co-financiado pelo Mary Raftery Journalism Fund, visa alertar a opinião pública para o estado dos serviços psiquiátricos irlandeses.

Knight Center lança curso gratuito “Introduction to Infographics and Data Visualization”

(08/10/2012) É o primeiro curso online massivo do Knight Center for Journalism in the Americas, gratuito e acessível a qualquer pessoa com ligação à Internet, através do MOOC, um novo programa de e-learning. “Introduction to Infographics and Data Visualization” dura 6 semanas e tem início a 28 de Outubro. As inscrições já estão abertas.

paul_bradshaw

“Model for the 21st Century Newsroom – Redux”, de Paul Bradshaw

(2/10/2012) Em 2007, Paul Bradshaw publicou “A Model for the 21st Century Newsroom”, uma série de modelos que exploravam a melhor forma de organização das redacções no contexto digital e que foram adoptados por projectos de media em todo o mundo. O e-book lançado agora, “Model for the 21st Century Newsroom – Redux“, é uma revisita a esse modelo, actualizando-o à luz das mais recentes mudanças digitais e das próprias experiências desses projectos que o adoptaram.

Call for Papers # III Congresso Internacional de Ciberjornalismo

(31/05/2012) A organização do III Congresso Internacional de Ciberjornalismo, marcado para 06 e 07 de dezembro de 2012 na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, convida os investigadores interessados a remeter, até 15 de Julho de 2012, propostas de comunicações a apresentar no Congresso.

As comunicações deverão versar sobre Ciberjornalismo, com especial preferência pelo tópico deste III Congresso, Convergência, nas diferentes dimensões do conceito associadas ao ciberjornalismo (profissional, empresarial, tecnológica e cultural):

As propostas devem ser enviadas para obciber@gmail.com, em Português, Espanhol ou Inglês. Cada proposta deve contemplar uma descrição de 400 a 500 palavras, que inclua, designadamente, o tópico e relevância do mesmo, hipótese ou argumento, moldura conceptual e metodológica, resultados previstos e até 5 palavras-chave. Cada proposta deve ser acompanhada de uma folha de rosto separada, para blind-review, apenas com nome(s), filiação institucional e endereços postal e eletrónico do(s) autor(es).

O texto acima foi retirado daqui.

Como criar um negócio na área do jornalismo

(22/05/2012) O empreendedorismo urge, também, no jornalismo. O curso “Como criar um negócio na área do jornalismo” (“negócio” tem de entrar no léxico dos jornalistas, dê lá por onde der) faz parte da oferta curricular da Escola de Verão da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa e decorre entre 16 e 25 de Julho, às segundas, quartas e sextas, das 17h às 20h. É ministrado por António Granado e Fernanda Llussá.

(Inscrevam-se.)

No âmbito do Digital Media Summer Institute do programa UT Austin | Portugal CoLab, Rosental Alves virá a Lisboa dar um curso sobre jornalismo empreendedor, entre 4 e 15 de Junho, das 14h às 17h, nas instalações da FCSH. As inscrições terminam na próxima sexta, dia 25 de Maio.

(Inscrevam-se.)

Ainda a propósito deste tema, aconselho a leitura do post “The rise of microbusiness and why journalists should embrace it“, de Adam Westbrook.

 

 

Call for Papers # Congresso Internacional de Jornalismo e Dispositivos Móveis

(08/05/2012) Está aberta até 30 de Junho de 2012 a chamada de trabalhos para o Congresso Internacional de Jornalismo e Dispositivos Móveis, que decorre nos dias 15 e 16 de Novembro de 2012 na Universidade da Beira Interior. As propostas podem responder a três questões temáticas: “De que forma os dispositivos móveis alteram as formas tradicionais de distribuição de informação jornalística e que implicações pode ter no conteúdo?”, “A app economy pode ser uma alternativa à venda de conteúdos? De que forma se pode estabilizar este modelo de negócio?” e “Há uma nova linguagem jornalística e novos formatos jornalísticos para estes dispositivos? Que características diferenciadoras devem apresentar?”.

As propostas aceites serão editadas no livro “Jornalismo para dispositivos móveis” a publicar no início de 2013.

Livros # Data Journalism Handbook

(07/05/2012) O jornalismo de base de dados (ou “jornalismo digital em base de dados”, termo cunhado por Susana Barboza) é baseado em grandes quantidades de dados que são curados, analisados e interpretados pelos jornalistas e publicados geralmente através de infografias e modelos visuais digitais dinâmicos (em geral, como elementos centrais ou como suporte a um texto). O Guardian mantém um blogue sobre jornalismo de base de dados e tem alguns exemplos interessantes de artigos neste âmbito.

É, neste contexto, de leitura indispensável o livro “The Data Journalism Handbook“, uma iniciativa do European Journalism Centre e a Open Knowledge Foundation. A obra é publicada pela O’Reilly Media, mas está também disponível gratuitamente online através de uma licença Creative Commons.

 

digi-winners

O melhor do design digital no âmbito jornalístico

(16/04/2012) O anúncio dos vencedores do SND33 – Society for News Design’s Best of Digital News Design Competition já foi feito há algumas semanas, mas só agora tive tempo de os ver em pormenor. A lista é de consulta obrigatória na íntegra, porque os premiados constituem quase todos bons case-studies do uso do design e das tecnologias digitais na construção de narrativas jornalísticas, mas partilho abaixo os meus preferidos. Recorde-se que o BostonGlobe.com arrecadou o prémio mais importante do evento (na categoria “World’s Best Designed Website”).

1. At the Metropolitan Museum, a New Wing,  a New Vista por The New York Times

(Medalha de Ouro na categoria “single-subject project – more than 50 million)

2. The Reckoning por The New York Times

(Medalha de Prata na categoria “single-subject project – more than 50 million)

3. The Oscars p0r The New York Times

(Medalha de Prata na categoria “series or events – more than 50 million”)

4. Crisis Guide: Iran por Council on Foreign Relations

(Prémio de Excelência na categoria “series or events – less than 50 million”)

5. Japan and Haiti: Picturing the Unimaginable por NPR

(Prémio de Excelência na categoria “series or events – more than 50 million”)

6. Steve Jobs’ Patents por The New York Times

(Prémio de Excelência na categoria “Data-Driven Projects – more than 50 million”)

7. DC Going Out Guide por The Washington Post

(Prémio de Excelência na categoria “Mobile Experience”)

8. 50 Greatest Photographs of National Geographic por National Geographic

(Prémio de Excelência na categoria “Tablet Experience”)

 

jornalismo_em_tempos_de_crise

“Jornalismo em Tempo de Crise” – resumos das principais intervenções

(03/04/2012) As duas primeiras sessões da série de conferências “Jornalismo em tempos de crise”, organizadas pelo Fórum de Jornalistas, tiveram lugar no Sábado passado, na Casa da Imprensa. Quem não teve oportunidade de ir pode aceder aos principais tópicos debatidos aqui.

Na próxima sessão, a 14 de Abril, serão debatidos os novos desafios do jornalismo, nomeadamente na vertente  online. Já os resultados do inquérito “Jornalismo e o futuro”, realizado pelo Fórum de Jornalistas e pela Universidade Católica, serão apresentados na última sessão das conferências “jornalismo em tempos de crise”, a qual terá lugar no final de Maio.

periodismo

XIII Congreso de Periodismo Digital: cobertura on-line em directo e comunicações

(16/03/2012) Quem não teve oportunidade (como eu) de ir ao XIII Congreso de Periodismo Digital, que começou ontem, em Huesca, pode acompanhar o evento em directo aqui, ouvir as intervenções anteriores aqui e ler as comunicações seleccionadas aqui.

Este congresso é, na minha opinião, um dos mais importantes a nível europeu nesta área, dado o enfoque que tem dado (nesta e nas edições anteriores) ao empreendedorismo e ao storytelling.

madmen

Mad Men: quem irá envolver-se com quem? A Wired dá uma ajuda

(29/02/2012) A quinta temporada da premiada série Mad Men (que retrata o mundo da publicidade nos anos de 1960, em Nova Iorque) vai para o ar em finais de Março e, ao que parece, as apostas sobre quem vai envolver-se com quem já começaram. Para ajudar os espectadores, a Wired publicou na sua edição de Fevereiro uma infografia bastante detalhada sobre o tipo de relações existentes entre as personagens e ainda quais, na sua opinião, deveriam ter um affair. Tem piada.

Prémios de Jornalismo “Direitos Humanos & Integração”

(22/02/2012) O Gabinete para os Meios de Comunicação Social (GMCS) e a Comissão Nacional da UNESCO (CNU) vão atribuir este ano, pela 7.ª vez, os Prémios de Jornalismo “DIREITOS HUMANOS E INTEGRAÇÃO” destinados a galardoar os melhores trabalhos jornalísticos sobre direitos humanos e integração que tenham sido publicados ou difundidos, em 2011, nos órgãos de comunicação social portugueses, em suporte tradicional ou eletrónico.
As candidaturas terminam a 30 de Abril de 2012. Mais informações aqui.

allthe

5 cidades. 366 dias. 366 mulheres. 366 filmes.

(22/02/2012) “All the Women – A Film Experience” é uma narrativa multimédia criada por Pablo Maqueda para celebrar as mulheres do século XXI. Lançado no dia 1 de Janeiro, o projecto está dividido em 366 curtas de um minuto, que vão sendo colocadas diariamente no Facebook e no Twitter, preenchendo todos os dias de 2012. Cada curta é dedicada a uma mulher anónima de uma das cinco cidades percorridas por Maqueda em 2011 (Tóquio, Londres, Madrid, Nova Iorque e Paris).

Vejam o trailer aqui…

Tese de doutoramento “A contextualização no ciberjornalismo” disponível para download

(17/01/2012) “O ciberjornalismo atual vive no duplo embaraço de não encontrar um modelo de negócio sólido que o viabilize e, simultaneamente, de ver parte do seu território invadido por novos atores, muitos dos quais desconhecedores e/ou desrespeitadores da função social e das normas éticas da atividade. São os próprios fundamentos do jornalismo que estão a ser postos em causa. E um desses fundamentos é a obrigação de colocar o facto em contexto, tarefa facilitada pelas potencialidades da Internet, mas nem sempre executada. Pretendeu-se com esta tese medir os níveis de contextualização presentes no ciberjornalismo e perceber o que determina os processos de contextualização ciberjornalística. Através da observação de cibermeios, de um inquérito a ciberjornalistas e de entrevistas a investigadores, concluiu-se que o ciberjornalismo está ainda longe de ser plenamente contextualizado e que a reduzida dimensão das redações online é o fator mais determinante nos processos de contextualização.”

A tese de doutoramento de Fernando Zamith, intitulada “A contextualização no ciberjornalismo” e defendida em 14 de Dezembro de 2011, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, está disponível no Repositório Aberto desta instituição.

A velha nova questão dos paywalls e como financiar o jornalismo digital

(05/01/2011) “When a paper abandons the standard paywall strategy, it gives up on selling news as a simple transaction. Instead, it must also appeal to its readers’ non-financial and non-transactional motivations: loyalty, gratitude, dedication to the mission, a sense of identification with the paper, an urge to preserve it as an institution rather than a business“.

Clay Shirky defende que 2012 será o ano em que os jornais digitais irão desistir de tratar as notícias como produtos e os leitores como clientes. Refere-se, lá está, à velha nova questão dos paywalls. Vale a pena ler o artigo e os respectivos comentários. Mas não é o único a dizer isso (e é fácil não o ser, já que os paywalls não funcionam desde, praticamente, o início). Bobbie Johnson também faz um balanço interessante com vários exemplos.

Continuo a achar que um modelo de negócio a considerar para o jornalismo digital é aquele que congrega publicidade, serviços, produtos especiais (como e-books), filantropia, doações dos leitores e, principalmente, bom jornalismo, assente numa perspectiva sem fins lucrativos. A esse propósito, Clara Jeffery, co-editora do Mother Jones, anuncia quais são as apostas das organizações de notícias sem fins lucrativos para 2012.

8a7fc0ac86dc9af6e4e9d1138cd729c1

Onde encontrar inspiração para criar?

(03/01/2012) No dia-a-dia, tenho um bloco de notas do qual nunca me separo. As ideias para um artigo podem aparecer em qualquer altura: numa esplanada, em conversa com amigos ou na fila do supermercado. No entanto, tenho de admitir que mais de dois terços da inspiração provêm precisamente de outros artigos publicados quer em meios de comunicação quer em blogues e páginas do Facebook.

O difícil não é encontrar as fontes de inspiração. É saber identificá-las e potenciá-las.

A propósito de ideias, alguns criadores de topo de várias indústrias criativas revelaram ao Guardian quais são as suas fontes de inspiração e como as aproveitam ao máximo.

Imagem: é da autoria de Jack e faz parte de uma série de fotografias que retratam o seu pai.

10 coisas que todos os jornalistas deviam saber em 2012

(03/01/2012) 1. Learn from Leveson | 2. Curate and share | 3. Invite others in | 4. Know your niche | 5. Think multimedia on multiplatform | 6. Data is not just for geeks | 7. Focus on what works – do less to do more | 8. Look to new off-site audiences | 9. Add value | 10. Online communities are no substitute for offline communities.

Não vale ficar pelos títulos que enumerei. Além destes conselhos para 2012, vale a pena recordar os de 2010 e 2009.

Dica: Ponto Media

Jornalismo digital – ideias de 2011 que vão tornar-se tendências em 2012

(03/01/2011) O Instituto Poynter, na voz de Jeff Sonderman, reuniu três tendências para 2012 que derivam de sementes lançadas no ano passado: as “estórias” serão muito mais do que palavras de um autor, em grande parte devido à ferramenta “Storify“; o facebook consolidar-se-á como fonte de notícias para os jornalistas; por último, os tablets e os e-readers entrarão no mainstream. O artigo aprofunda estas três tendências e remete para outros temas igualmente interessantes.

Ainda a propósito de tendências do jornalismo digital, José Luis Orihuela coloca no seu “top” os tablets, o comércio electrónico, o jornalismo de dados, as redes sociais e os agregadores e curadores digitais.

Os 10 posts mais populares do Culturascópio em 2011

(02/01/2011) Como 2012 está a ser apelidado como “o ano que ninguém quer”, desejo a todos que este ano possa ser recordado pelos melhores motivos. Vai ser um ano muito diferente também para mim, dado que vou colocar em banho-maria alguns compromissos profissionais para me dedicar ao meu projecto de doutoramento. Pontos positivos: a actualização do Culturascópio será mais regular e, em breve, dar-vos-ei notícias sobre uma nova plataforma internacional, de que sou editora, dedicada ao jornalismo cultural.

Aqui ficam os 10 posts mais populares do Culturascópio (com maior número de páginas visitadas) em 2011:

1. Mensagens subliminares em logótipos famosos;

2. Top 10 compositores clássicos;

3. O que são indústrias criativas?;

4. O que é um prontuário ortográfico?;

5. Os melhores blogues sobre revistas impressas e digitais;

6. Guia de sobrevivência do jornalismo freelancer;

7. 11 competências dos jornalistas do futuro;

8. 5 qualidades dos bons criativos;

9. Criadores # Joana Ribeiro;

10. O potencial do iPad para divulgar exposições.

 

Livros # Magazine Editing in Print and Online

(27/12/2011) A 3.ª edição do livro “Magazine Editing” tem uma actualização que o faz ser de compra obrigatória, mesmo para quem tem uma edição anterior (como é o meu caso): posiciona-o no contexto on-line. Paul Bradshaw foi o autor responsável por esta nova abordagem (embora o livro seja originalmente da autoria de John Morrish), focando-se na caracterização dos diversos tipos de magazines digitais, nos respectivos modelos de negócio, bem como nos novos recursos editoriais e humanos.

“Magazine Editing in Print and Online”, de John Morrish e Paul Bradshaw, está à venda na Amazon.co.uk ou na Amazon.com.

2.ª edição dos prémios “The Information is Beautiful” – inscrições até 5/12

(22/11/2011) Em parceria com o jornal Guardian, o 2.º desafio coordenado pela The Information is Beautiful irá premiar o melhor projecto e/ou sugestão de visualização de dados sobre a crise económica mundial nos EUA e na UE. Chama-se “MON€Y PANIC$” e o objectivo é claro: “Make the crash visible, understandable”.  Podem ser usadas quaisquer bases de dados disponíveis no DataBlog do Guardian. 

O prazo para as candidaturas termina no dia 5 de Dezembro.

Livro # Visual Complexity – Mapping Patterns of Information

(21/11/2011) Desde há algum tempo que a infografia me desperta a atenção, pela vertente funcional (a habilidade de visualizar informação) e artística (as melhores acabam por ser admiradas pela sua estética). Dos vários livros que já consultei sobre o assunto, este é um dos melhores.  Visual Complexity: Mapping Patterns of Information“, de Manuel Lima, reúne alguns dos mais interessantes exemplos de visualização de informação, com ilustrações magníficas, sem descurar o respectivo estado da arte e a integração desta disciplina nos desafios actuais das redes. O prefácio é de Lev Manovich.

O projecto que deu origem ao livro reúne, até ao momento, 772 trabalhos e pode ser admirado aqui.

16th International Conference on Electronic Publishing é em Guimarães

“Social Shaping of Digital Publishing: Exploring the interplay between Culture and Technology” é o tema da 16th Internation Conference on Electronic Publishing, que decorre em Guimarães, entre 14 e 15 de Junho de 2012. Quem quiser submeter comunicações (textos completos em inglês ou posters) deve fazê-lo até 9 de Janeiro de 2012. Estas deverão estar integradas numa das sete áreas que estruturam a conferência: digital scholarship, open access and open science; interoperability and the intelligent Web; the social and mobile Web; the legal, secure and trustful Web; innovative interfaces, interaction and visualization; failures and learnings; the future of digital publishing.

 

Recursos da conferência “Journalism Interactive 2011”

O site da conferência Journalism Interactive 2011, que decorreu nos passados dias 28 e 29 de Outubro, na Escola de Jornalismo da Universidade de Maryland (EUA), disponibilizou alguns resumos das comunicações dos conferencistas e os vídeos dos principais painéis. É mais uma oportunidade para ver ou ler Jeff Jarvis, Jeremy Caplan, Jeff Cutler, Richard Hernandez, entre outros.

Duas publicações essenciais para jornalistas empreendedores

(03/11/2011) Uma partilha uma experiência. A outra reúne casos de sucesso. Ambas, promovidas pela Knight Foundation, são de leitura obrigatória para quem quer lançar um projecto na área do jornalismo.

 “Reinventing Journalism – An unexpected personal  journey from journalist to publisher” relata a experiência de Robert J. Rosenthal, que, após 40 anos como jornalista e editor, se viu obrigado a lidar com “números” e a vertente do negócio, ao assumir a liderança do Center for Investigative Reporting e ao lançar o  “California Watch”. O testemunho termina com 10 lições essenciais para jornalistas empreendedores.

Getting local: how nonprofit news ventures seek sustainability” analisa algumas das news ventures sem fins lucrativos mais bem-sucedidas dos EUA, fornecendo dados sobre as estratégias que têm usado para envolver os leitores, angariar patrocinadores e alcançar a auto-sustentabilidade.

Conferência “Diversidade Digital”, 4 de Novembro, em Lisboa

(25/10/2011) Agendada para 4 de Novembro,  na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a conferência Diversidade Digital marca o final do projecto Inclusão e Participação Digital”,  integrado no programa  UTAustin|Portugal, no qual se comparou as trajectórias de uso de meios digitais por diferentes grupos sociais em Portugal e nos Estados Unidos procurando novos ângulos para as questões da inclusão e da participação digital na sociedade portuguesa.Nesta conferência, serão apresentados resultados e novas pistas de reflexão sobre os contextos de exclusão digital de grupos específicos, desde as crianças aos idosos, passando pelos imigrantes e pelas franjas empobrecidas da população.
 
A inscrição deverá ser feita até 31 de Outubro (aqui) e dará direito ao número 19 da Revista Media & Jornalismo subordinada ao tema “Inclusão e Participação Digital: Olhares sobre a Sociedade Portuguesa”.