livros

Livros fora da guilhotina

No âmbito das comemorações do Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, que se celebra a 23 de Abril, a ministra da Cultura disse aos media que pretende acabar com a destruição de livros por parte das editoras, uma prática comum, em virtude de a sua doação exigir o pagamento de direitos de autor. O Ministério da Cultura está em negociações com a Sociedade Portuguesa de Autores de forma a enquadrar legalmente a isenção de IVA para efeito de doação de livros em excesso no mercado.

Recorde-se que a 9 de Fevereiro o antigo editor da ASA, José da Cruz Santos, divulgou ao Diário de Notícias que milhares de livros do grupo Leya tinham sido guilhotinados, entre os quais obras de Jorge de Sena e Eugénio de Andrade, mote para a polémica que se tem vindo a arrastar até agora.